Aos 90 anos de idade, Tecelagem Parahyba se ajusta para sobreviver

 Em 1925, quando um grupo de portugueses deu início a fábrica de cobertores Parahyba na cidade São José dos Campos (SP), ainda não se falava em aquecimento global, a China era um país obscuro perto da União Soviética e os edredons não tinham caído no gosto do consumidor.

Está certo que o mercado local era então um arremedo do que viria a se tornar em seguida. E apenas isso justifica a decisão intempestiva dos sócios imigrantes de abandonarem a tecelagem nas mãos do gerente e regressarem para a Europa sem nunca mais mandarem notícia... Ver Matéria completa


A história da antiga fábrica de cobertores Parahyba

 Neste mês, o governador Geraldo Alckmin passou para a prefeitura de São José dos Campos, no interior do estado, a administração do complexo da antiga Tecelagem Parahyba. Aos poucos, o governo vai desocupar os galpões da fábrica e disponibilizar a área para o município. A Tecelagem Parahyba produzia cobertores de alto padrão e representou um marco para a industrialização da cidade. Foram setenta anos de controle do mercado nacional na fabricação de tecidos e fiação de lã... Ver Matéria completa


Parahyba faz criança dormir sem a mamãe mandar

 A partir desta semana, o Memorial do Consumo publicará alguns capítulos do livro “Campanhas Inesquecíveis”, editado pelo Meio & Mensagem em 2007. O livro conta com um compilado de reportagens sobre as melhores campanhas brasileiras das décadas de 1960, 1970, 1980 e 1990. Para a estreia por aqui, a tradicional campanha dos cobertores Parahyba. Aproveite!... Ver Matéria completa